Plano Nacional promete aumentar exportações de frutos segundo Ministério

O Plano Nacional de Desenvolvimento da Fruticultura, com lançamento previsto em fevereiro deste ano pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Mapa, tem como objetivo traçar políticas e estratégias de ação. O Plano promete aumentar a qualidade, a produção, o consumo interno e as exportações.

Existe uma espera que a produção duplique no país em cinco anos, e a expectativa é que em dois anos aumente em 50% pelo menos, no volume de exportações. No ranking mundial de exportação de frutas, o Brasil está na 23ª posição, segundo dados da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados, o Abrafrutas, em parceria com o plano. “Alguns gargalos impedem uma competitividade maior da fruticultura no país, por isso é importante a adoção de políticas de médio e longo prazo”, disse o assessor da Secretaria-Executiva do Ministério, Ricardo Cavalcante. “Se consideradas apenas frutas secas, os avanços dos últimos quinze anos alcançados pelas exportações brasileiras são pouco expressivas”, observa ele.

A área de cultivo da fruticultura no país é maior que dois mil hectares, sendo uma das mais diversificadas no mundo, e gera resultados expressivos em relação a empregos no campo, na agroindústria, na cadeia produtiva, agroturismo, além da geração de renda dos mercados internos e externos.

O governo considera o setor como prioritário, com um grande potencial de exportações. O país fica em terceiro lugar na produção mundial, ficando atrás apenas da China e Índia, porém, exporta apenas 2,5% da sua produção. No ano passado foram 784 mil toneladas de frutas exportadas com divisas de US$ 852 milhões. Esse volume deixa o Brasil atrás de outros países latino americanos, como o Chile e o Peru.

O plano Nacional de Desenvolvimento da Fruticultura, conta com dez tópicos participantes do plano associações de produtores, exportadores, processadores e fornecedores de insumos no ramo fruticultor.

Um plano de desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Feijão, já vem sendo elaborado no mesmo modelo da Fruticultura, com objetivo de organização da cadeia produtiva do grão e no estímulo a exportação do feijão, como o tipo caupi, com previsão de lançamento em março deste ano.