Pássaros estão com transtorno de estresse causado pelo barulho das fábricas

Sintomas parecidos com o dos seres humanos, após um trauma, os pássaros vêm sofrendo com o barulho das fábricas de petróleo e gás, o que dificulta também sua reprodução, de acordo com uma pesquisa publicada pelo Proceedings of the National Academy of Sciences.

Durante o estudo, os cientistas puderam observar que as aves que ficavam em exposição ao barulho apresentavam níveis de cortisol alterados, um hormônio relacionado ao estresse. Os cientistas relacionam essas alterações com o aumento da ansiedade e do estado de atenção dos pássaros causadas pelo barulho.

Observou-se também que em alguns casos havia uma dificuldade de reprodução onde a ninhada nascia atrofiada. Os pesquisadores verificaram também que havia casos de pássaros que possuíam menos quantidade de penas e uma estrutura menor em comparação aos outros pássaros que não habitam em regiões barulhentas.

Um dos autores do estudo, Rob Gralnick, também pesquisador do Museu de História Natural da Flórida, disse em nota que os pássaros não conseguem obter informações do ambiente, e isso causa grande estresse aos animais, por não conseguirem identificar o que está acontecendo ao seu redor.

Os pesquisadores espalharam cinquenta ninhos em doze regiões diferentes. Eles também colheram amostras de sangue dos animais em três momentos diferentes, além da observação. Os pássaros estavam com níveis de cortisol menores, indicou o estudo, o que deixou os pesquisadores curiosos.

Apesar de esses níveis reduzidos indicarem que os pássaros estariam menos estressados, os resultados mostraram exatamente ao contrário. Os animais estão em um estresse tão grande que produzem o hormônio como uma maneira de defesa.

Esses resultados crônicos de níveis de hormônios do estresse baixos também podem ser observados em ninhadas de pássaros que habitavam naquela região.

O coautor do estudo e fisiologia do estresse, Christopher Lowry, explicou também em nota que esse resultado da pesquisa é algo sólido com outras pesquisas em humanos e ratos.

Os estudos apontam que os níveis de cortisol ficam extremamente baixos, quando as pessoas passam por estresse crônico constante.

Segundo o pesquisador, quando o animal permanece em fuga, luta ou a procura de um local para viver, o corpo se adapta para poupar energia e também hormônio. Esse estado está relacionada a diversas doenças e difusões.