Pássaros estão com transtorno de estresse causado pelo barulho das fábricas

Sintomas parecidos com o dos seres humanos, após um trauma, os pássaros vêm sofrendo com o barulho das fábricas de petróleo e gás, o que dificulta também sua reprodução, de acordo com uma pesquisa publicada pelo Proceedings of the National Academy of Sciences.

Durante o estudo, os cientistas puderam observar que as aves que ficavam em exposição ao barulho apresentavam níveis de cortisol alterados, um hormônio relacionado ao estresse. Os cientistas relacionam essas alterações com o aumento da ansiedade e do estado de atenção dos pássaros causadas pelo barulho.

Observou-se também que em alguns casos havia uma dificuldade de reprodução onde a ninhada nascia atrofiada. Os pesquisadores verificaram também que havia casos de pássaros que possuíam menos quantidade de penas e uma estrutura menor em comparação aos outros pássaros que não habitam em regiões barulhentas.

Um dos autores do estudo, Rob Gralnick, também pesquisador do Museu de História Natural da Flórida, disse em nota que os pássaros não conseguem obter informações do ambiente, e isso causa grande estresse aos animais, por não conseguirem identificar o que está acontecendo ao seu redor.

Os pesquisadores espalharam cinquenta ninhos em doze regiões diferentes. Eles também colheram amostras de sangue dos animais em três momentos diferentes, além da observação. Os pássaros estavam com níveis de cortisol menores, indicou o estudo, o que deixou os pesquisadores curiosos.

Apesar de esses níveis reduzidos indicarem que os pássaros estariam menos estressados, os resultados mostraram exatamente ao contrário. Os animais estão em um estresse tão grande que produzem o hormônio como uma maneira de defesa.

Esses resultados crônicos de níveis de hormônios do estresse baixos também podem ser observados em ninhadas de pássaros que habitavam naquela região.

O coautor do estudo e fisiologia do estresse, Christopher Lowry, explicou também em nota que esse resultado da pesquisa é algo sólido com outras pesquisas em humanos e ratos.

Os estudos apontam que os níveis de cortisol ficam extremamente baixos, quando as pessoas passam por estresse crônico constante.

Segundo o pesquisador, quando o animal permanece em fuga, luta ou a procura de um local para viver, o corpo se adapta para poupar energia e também hormônio. Esse estado está relacionada a diversas doenças e difusões.

 

Ministro alerta que cenário positivo depende da aprovação de reformas

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, disse que as projeções são positivas para o cenário econômico em 2018, porém precisa da aprovação das reformas propostas pelo governo. Para que as boas condições se confirmem é necessárias as reformas, em especial a Reforma da Previdência.

Dyogo afirma que a decisão de um desempenho brilhante e desempenho mediano dependem da aprovação das reformas. “É por isso que estaremos trabalhando mais, e com mais força para o encaminhamento da reforma” .

Ele ainda disse que a previdência continuará com o déficit crescente que poderá alcançar os R$ 225,3 bilhões em 2020, caso as regras atuais não se alterem. Dyogo alertou novamente que se as reformas não forem aprovadas terá impacto direto no bem-estar social da população que poderá perder R$ 7 mil reais até 2022 se consideradas as projeções do PIB, o produto Interno Bruto, e o aumento da Dívida Bruta do Governo Federal.

O ministro destaca a melhora dos empregos, recuperação do investimento, juros e inflação e sobre o que o governo tem feito para arrumar essas contas, possibilitando um cenário de baixa inflação e com juros e taxas em queda. “O governo colocou dinheiro na mão do consumidor para ele mesmo poder reativar a economia fazendo com que ela cresça”, destacou Dyogo.

A melhora do cenário econômico está relacionada com as reformas que o governo iniciou e possibilitou um ganho de confiança. Os resultados disso é a expectativa de que o PIB cresça em 3% neste ano, por exemplo. Esses são resultados de todo o trabalho e cooperação da política econômica, das ações efetivas para a recuperação da economia e a criação de confiança. “O risco é que isso possa se reverter também de maneira rápida”, destaca.

A decisão de votar na Reforma da Previdência em fevereiro deste ano já apontou inversão de alguns indicadores que estavam positivos. A votação ficou para 2017 devido algumas medidas ainda serem negociadas e por não ter tido forças políticas para a sua aprovação.

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn concorda que para se manter a inflação baixa é necessário a continuidade das reformas.

Plano Nacional promete aumentar exportações de frutos segundo Ministério

O Plano Nacional de Desenvolvimento da Fruticultura, com lançamento previsto em fevereiro deste ano pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Mapa, tem como objetivo traçar políticas e estratégias de ação. O Plano promete aumentar a qualidade, a produção, o consumo interno e as exportações.

Existe uma espera que a produção duplique no país em cinco anos, e a expectativa é que em dois anos aumente em 50% pelo menos, no volume de exportações. No ranking mundial de exportação de frutas, o Brasil está na 23ª posição, segundo dados da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados, o Abrafrutas, em parceria com o plano. “Alguns gargalos impedem uma competitividade maior da fruticultura no país, por isso é importante a adoção de políticas de médio e longo prazo”, disse o assessor da Secretaria-Executiva do Ministério, Ricardo Cavalcante. “Se consideradas apenas frutas secas, os avanços dos últimos quinze anos alcançados pelas exportações brasileiras são pouco expressivas”, observa ele.

A área de cultivo da fruticultura no país é maior que dois mil hectares, sendo uma das mais diversificadas no mundo, e gera resultados expressivos em relação a empregos no campo, na agroindústria, na cadeia produtiva, agroturismo, além da geração de renda dos mercados internos e externos.

O governo considera o setor como prioritário, com um grande potencial de exportações. O país fica em terceiro lugar na produção mundial, ficando atrás apenas da China e Índia, porém, exporta apenas 2,5% da sua produção. No ano passado foram 784 mil toneladas de frutas exportadas com divisas de US$ 852 milhões. Esse volume deixa o Brasil atrás de outros países latino americanos, como o Chile e o Peru.

O plano Nacional de Desenvolvimento da Fruticultura, conta com dez tópicos participantes do plano associações de produtores, exportadores, processadores e fornecedores de insumos no ramo fruticultor.

Um plano de desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Feijão, já vem sendo elaborado no mesmo modelo da Fruticultura, com objetivo de organização da cadeia produtiva do grão e no estímulo a exportação do feijão, como o tipo caupi, com previsão de lançamento em março deste ano.

Conheça a história de José Auriemo Neto no ramo da incorporação de luxo

Image result for José Auriemo neto

 

José Auriemo Neto, também chamado apenas de Zeco pelos amigos, chegou a posição de presidente da incorporadora da família, a JHSF, aos 27 anos de idade, o que reforçou a precocidade que ele já demonstrava desde criança, quando começou a andar, a falar e a usar uma bicicleta muito antes do que as outras crianças.

Em sua juventude, José Auriemo Neto estimulou o seu espírito de liderança ao participar de várias atividades de destaque, como uma Convivência Internacional de Jovens, sediada no Japão, e também na vez em que se mudou para a Bélgica para treinar Hipismo com prestigiado atleta Nelson Pessoa Filho.

Pouco depois de completar 17 anos, Zeco optou por fazer o curso de Engenharia na Faculdade de Engenharia de São Paulo, enquanto ao mesmo tempo, ele também trabalhava na JHSF no setor de serviços, especialmente na área da administração de estacionamentos. Integrado na rotina da corporação, José Auriemo Neto acabou notando que o que realmente queria era ajudar o seu pai, Fábio Auriemo, no comando da incorporadora, o que o levou a trancar o curso de Engenharia e se dedicar integralmente ao trabalho.

Ainda na década de 90, a JHSF começou a focar majoritariamente no ramo da incorporação, o que demonstrou ser uma escolha acertada, tendo em vista que a empresa cresceu de modo sólido e contínuo. Nesses mais de vinte anos, a incorporadora somou diversos projetos no estado de São Paulo, e também em outras cidades brasileiras como Manaus e Salvador, e inclusive no exterior, em Punta del Este, litoral uruguaio. Entre esses projetos, a empresa se destacou principalmente a viabilização de grandes centros comerciais como o Shopping Metrô Santa Cruz e o Shopping Metrô Tucuruvi.

Já na função de comando da JHSF, José Auriemo Neto tomou a decisão de focar no ramo da incorporação de luxo, um setor que demonstrava um imenso potencial de crescimento. Esses fatores levaram a empresa investir na construção do Parque Cidade Jardim, um imenso complexo voltado para a alta renda cuja localização é na na Marginal Pinheiros, região da Grande São Paulo que muitos analistas classificaram como ineficiente para um complexo dessa estrutura.

Mesmo com as opiniões contrárias, Zeco resolveu apostar na ideia e comprou o terreno para a construção desse complexo, com uma área de mais de 80 mil metros quadrados. Esse projeto foi responsável por gerar grandes lucros para a JHSF, contribuindo para que a empresa figurasse entre as principais do país nesse mercado. Depois de inaugurado, o Parque Cidade Jardim é formado por um grande shopping center de luxo, torres residenciais, edifícios comerciais, restaurantes, academias e um prédio onde parte dos andares são sede do luxuoso hotel Fasano.

Na esfera pessoal, José Auriemo Neto também é plenamente realizado, tendo formado uma linda família com a esposa e mãe de seus filhos, a administradora Mariana Landmann Auriemo. Mesmo com a rotina agitada e repleta de compromissos profissionais, o empresário se dedica a sua família, além de reservar parte dos horários vagos para a prática de esportes, principalmente o golfe.

 

Com possibilidade de altos ganhos YouTube atrai produtes de conteúdo

Depois que o Youtube foi lançado uma nova forma de entretenimento surge que tira da zona de conforto os típicos meios de comunicação como a TV e os canais pagos. Exibir uma reportagem, vídeos engraçados e novidades do mundo da música não ficou apenas a cargo das grandes produtoras. Hoje um vídeo caseiro consegue alcançar milhões de pessoas e se tornar o viral do momento.

O conteúdo no YouTube não permaneceu nos vídeos amadores e avançou para um nível profissional que hoje desafia a TV. Sem um horário fixo e permanecendo à disposição do público os vídeos alcançam um número crescente de visualizações que atraem os olhos do mercado publicitário.

Um dos maiores movimentos que marcam a mudança das estratégias publicitárias por razão do YouTube é a decisão da empresa Adidas de deixar o investimento de marketing na TV para se focar exclusivamente na internet.

Sem precisar cobrar uma assinatura o site tem publicidade que garante um bom rendimento para os vídeos que alcançam milhões de seguidores, com essa possibilidade de lucro, muitos youtubers conseguem bons rendimentos.

A exibição de conteúdo se torna promissora para quem insiste nesse ramo. Alguns canais conquistam milhões de seguidores e conseguem arrecadar milhares de dólares com as visualizações de seus vídeos.

O pagamento pela publicidade nos vídeos tem uma média de US$ 1 (R$ 3,30) e US$ 5 (R$ 16,50). Quando um vídeo consegue uma popularidade alta como 1 milhão de visualizações, os ganhos podem chegar a uma média de US$ 1 mil a até US$ 5 mil.

Youtubers como o Whinderson Nunes com mais de 25 milhões de inscritos em seu canal, possui vídeos com uma média de 20 milhões de visualizações.

O maior desafio dos produtores de conteúdo para conquistar o almejado espaço no YouTube é conseguir um público que acompanhe os seus vídeos. O caminho para atingir o alvo pode não ser tão fácil quanto o esperado pois exige constância e tempo.

São diversos os assuntos que atraem o público, desde receitas culinárias até documentários. Existe uma infinidade de assuntos que são abordados nos vídeos do site. O maior desafio dos produtores de conteúdo para conquistar o almejado espaço no YouTube é conseguir um público que acompanhe os seus vídeos.

 

Conheça cidades na Europa para passear de bicicleta

As cidades que permitem andar de bicicleta de forma segura e com qualidade sempre convidam os visitantes e os próprios locais para uma volta. Quem gosta de andar de bicicleta precisa conhecer alguns lugares ao redor do mundo que proporcionam um ótimo passeio, principalmente pela boa estrutura e as belas paisagens que podem ser vistas no caminho.

Em Amsterdã, Holanda, um passeio de bicicleta é imperdível, quem visitar a capital holandesa não pode perder essa experiência. Os canais da cidade estão passando pelas ciclovias bem projetadas e que possuem beleza. O edifício do museu principal da região, o Rijksmuseum, está no meio dos canais. Nele é possível observar as obras dos artistas como Rembrandt, Vermeer e Frans Hals. Apenas andando de bicicleta é possível visitar o museu do Van Gogh e o boêmio bairro de Jordaan. Como existem muitos furtos de bicicleta é preciso de um cadeado resistente quando for preciso deixá-la parada em algum lugar.

Em Copenhague, Dinamarca, o investimento no transporte não teve economia, foram milhões de euros para garantir uma mobilidade de qualidade para os cidadãos do país que vivem em áreas urbanas. Copenhague tem uma qualidade muito boa para ciclistas, o que estimula ainda mais a visita aos pontos turísticos simplesmente pedalando, assim já é possível conhecer o Havneringen King, que cruza uma parte ampla da área portuária da cidade.

Em Malmö, Suécia, a estrutura atrai passeios de bicicleta em um centro urbano nórdico. É possível conhecer a região sem preocupações por lugares de beleza inigualável como o parque Pildammsparken e o centro histórico do local, onde está a praça Stortorget, reconhecida por sua beleza marcante. É comum as hospedagens na cidade disponibilizarem bicicletas, algumas até permitem o uso gratuito.

Na França, em Estrasburgo, o turista terá um dos lugares mais bonitos do mundo para passear. As ciclovias são diversas, a região metropolitana traz uma boa estrutura para conhecer locais turísticos interessantes e famosos como o edifício do Parlamento Europeu, a Place Kléber, uma das mais belas praças da cidade e o Orangerie Park. Os canais dessa região transformam o passeio em um programa interessante para casais.

 

Luiz Carlos Trabuco Cappi, líder do Bradesco, destaca a economia na reforma previdenciária

Ao ser entrevistado pela revista Valor, o presidente do Grupo Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, traçou um panorama acerca dos impactos que a previdência tem sobre a vida dos brasileiros. Em tempos onde se especula se a reforma previdenciária deve ou não ser realizada, o executivo informou alguns pontos demonstrando que trata-se de umas mais importantes ações para os próximos tempos. Segundo o líder da instituição, as alterações nos processos previdenciários, entretanto, devem ser adotadas sem imediatismo, uma vez que outras áreas também precisam estar em conformidade com as novas regras.

Apesar de acreditar no potencial que o pacote de medidas terá para a previdência, o executivo do Bradesco destacou que cabe exclusivamente às autoridades envolvidas a escolha de uma data mais propícia ao início da reforma. Luiz Carlos Trabuco Cappi, contudo, acredita na iminência de que o fato ocorra e apostou no ano de 2018 como o mais provável para que o processo tenha seu começo. O responsável por presidir a instituição, no entanto, não considerou os últimos meses de 2017 como passíveis de qualquer alteração previdenciária em razão do curto espaço de tempo para as modificações no segmento.

Com destaque para a situação do Tesouro Nacional, o presidente da organização explicou que a reforma previdenciária atenderá demandas de diversos setores da sociedade. Para Luiz Carlos Trabuco Cappi, caso nada fosse feito para frear o escoamento de dinheiro proveniente da previdência, tal situação poderia comprometer o andamento de processos de aposentadoria de pessoas que hoje são jovens. Além disso, o executivo aproveitou a ocasião da entrevista para relembrar o risco que a situação fiscal do país poderá correr em face do desequilíbrio previdenciário.

O presidente da instituição financeira apontou para uma nova realidade apresentada pela economia nos últimos tempos. Esse novo comportamento, segundo informações do segmento bancário, foi destacada pelo executivo como algo ocasionado pela expectativa de uma reforma previdenciária no país. Um dos pontos mais expressivos do atual cenário apresentado pelas empresas do ramo financeiro diz respeito ao súbito aumento da demanda por crédito. De acordo com o gestor da corporação, essa alavancada dos produtos creditícios passou a ocorrer pelo fato da clientela ter retomado sua confiança na área.

Um outro assunto abordado durante a entrevista para a revista Valor tocou no assunto do Banco Central ter inaugurado a “Agenda BC+”, onde a instituição conta com o auxílio do Sistema Financeiro Nacional para anunciar publicamente todos os passos que serão tomados na rotina das duas instituições. Conforme pontua Luiz Carlos Trabuco Cappi, a iniciativa tem conseguido obter sucesso em suas ações. Como resultado, os agentes financeiros puderam notar uma considerável redução dos chamados “spreads”, salienta o executivo.

Mesmo com algumas perspectivas de que os juros possam subir, configurando uma espécie de tendência para o próximo triênio, Luiz Carlos Trabuco Cappi consegue olhar para a economia com otimismo, ainda que o segmento financeiro venha a experimentar algum tipo de instabilidade em suas atividades. Com base nas mudanças traçadas pelo governo, ele enfatiza que a situação do setor bancário poderá ser amenizada.

 

Inverno na Europa ainda continua atrativo para turistas

O inverno europeu não é de se subestimar, brasileiros que vão viajar nessa temporada precisam saber que algumas atividades ou atrações não são tão recomendadas. Dependendo do que o viajante procura e o estilo de viagem que planeja a Europa pode proporcionar uma experiência diferente do que aquelas disponíveis em pleno verão ou primavera.

Quem quiser ir para a praia em algum lugar no sul da Europa vai perder tempo e dinheiro. A alta temporada é o momento mais recomendado para esse tipo de atrativo. Durante novembro até março vários hotéis não estão abertos, os barcos não estão tão frequentes e os locais ficam vazios. Até mesmo no sul da Espanha, um dos lugares mais quentes da Europa, no inverno não compensa ir para querer se estirar na areia e esperar ser bronzeado pelo sol.

A vantagem do frio europeu é que as empresas também esfriam os preços das passagens. Tanto os hotéis quanto as passagens de trem ou avião têm preços bons, muito necessário principalmente agora que o euro está a R$ 4. É possível conseguir passagens baratas de 10 euros durante os meses de novembro e fevereiro (empresas Ryanair e a EasyJet). Então imagina para onde não será possível visitar com esses valores?

Querer passear livre, leve e solto no inverno europeu não é muito recomendável, então as opções de passeios mais interessantes se tornam os museus, uma tarde em um café ou em um bar. Os lugares não estarão cheios de pessoas o que irá aliviar as filas e as esperas.

Pessoas que não gostam do frio é melhor passar longe de lugares como Budapeste, Praga, Escócia e Escandinávia, a melhor escolha mesmo seriam os destinos que estão no sul da Europa, entre eles podem estar as regiões da Espanha como Barcelona, Andaluzia, Granada, Córdoba, Málaga e Sevilha.

Quem quiser ver neve, mas não sofrer tanto com o frio é só não passar por Praga, Berlim ou Viena, e também evitar o sul da Europa que não em geral não neva. O esqui se torna uma das atividades mais praticadas, as estações acabam se tornando uma boa escolha para o Ano Novo.

 

Pobreza atinge um quarto da população brasileira, revela pesquisa do IBGE

Em torno de 50 milhões de brasileiros vivem com renda familiar na linha de pobreza, o que corresponde a R$ 387,07 por mês. É o que demonstra a pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse número, revelado pela Síntese de Indicadores Sociais 2017 – SIS 2017, equivale a mais de 25% da população brasileira vivendo com até US$ 5,5 por dia, critério estipulado pelo Banco Mundial para determinar a condição de pobreza de uma pessoa.

O maior índice de pobreza está concentrado no Nordeste do país, onde quase 44% da população se encontram nessa situação. A região Sul obteve a menor taxa de pobreza do país, com 12,3%.

Os dados estatísticos ainda revelam uma situação alarmante para a população infantil do Brasil. Cerca de 42% de crianças, entre 0 e 14 anos de idade, estão vivendo na linha de pobreza. São menores que vivem muitas vezes em condições insalubres e com uma renda domiciliar per capita extremamente baixa.

Os indicadores sociais divulgados pelo IBGE revelam um país extremamente desigual por regiões, gênero, raça e cor. Entre os brasileiros com os menores índices de rendimento familiar, a população de pardos ou pretos atinge 78,5%, ante 20,8% de brancos. A parcela da população mais rica corresponde a apenas 24,8% de pretos e pardos.

Quando se analisa os níveis de pobreza pelas capitais e estados do país, as regiões Norte e Nordeste disparam nos índices de pobreza analisados pela pesquisa. Maranhão possui 52,4% da população na faixa de pobreza, seguido por Amazonas (49,2%) e o estado de Alagoas (47,4%).

A pobreza também está mais presente no interior do que nas capitais, sendo que 80% da população pobre se concentram em áreas rurais. Os dados indicam que 20% da população com maior rendimento (R$ 4,5 mil) possuem 18 vezes o rendimento médio dos brasileiros que ganham menos, renda em torno de R$ 243.

A SIS 2017 ainda revelou que 64,9% da população tem dificuldade de acesso em certos direitos sociais que foram analisados, como saneamento básico, educação e proteção social.

Domicílios que são compostos por mulheres pardas ou pretas sem cônjuge e com filhos até 14 anos estão no grupo mais vulnerável apresentado na pesquisa: 81,3%.

 

Manaira Shopping de Roberto Santiago é referência em entretenimento em João Pessoa

O empresário Roberto Santiago é natural da capital da Paraíba, tendo começado a sua trajetória como empreendedor quando abriu uma empresa de pequeno porte na área da cartonagem. Após alguns anos, ele redirecionou o foco para um mercado totalmente diferente, investindo na construção de um grande centro de compras, o Manaira Shopping, que é reconhecido nos dias de hoje como um dos principais shoppings do Nordeste e uma das fontes de entretenimento mais populares de João Pessoa.

Fundado no ano de 1989, o local já passou por dois grandes processos de expansão desde então para atender a demanda crescente do público e das marcas interessadas. Localizado entre o centro da cidade e o litoral norte, o Manaira Shopping conta com quase 300 lojas e tem uma Área Bruta Locável de cerca de 75 mil metros quadrados. Com todo esse espaço disponível, o shopping de Roberto Santiago é reconhecido pela população por trazer vários eventos, feiras e exposições que agradam ao público de todas as idades.

As atrações do shopping já são um destaque a parte, como por exemplo, o cinema amplo e moderno, que possui um total de onze salas equipadas com tecnologia de ponta. Com salas comuns, VIP e 3D, o cinema inteiro do local foi desenvolvido seguindo o formato Sistema Stadium, no qual as cadeiras estão dispostas como as arquibancadas dos estádios, com o intuito de melhorar a visão de todos os pontos das salas.

Além do cinema, o Manaira Shopping de Roberto Santiago também conta com outras opções populares de entretenimento, como é o caso do espaçoso boliche, cujas pistas são modernas e eletrônicas, e do espaço Game Center, uma área com centenas de máquinas de jogos eletrônicos, de temas variados, capaz de entreter o público de todas as idades.

No aspecto alimentação, por sua vez, o estabelecimento também se destaca, oferecendo uma grande variedade de opções, desde restaurantes estilo fast-food até os que possuem comida à quilo, todos com um atendimento rápido para os consumidores quem desejam uma refeição mais informal e veloz. Por outro lado, o Manaira Shopping conta ainda com o conhecido Espaço Gourmet, uma área dedicada aos restaurantes mais refinados e administrados por chefs de cozinha que são referência da gastronomia paraibana.

Com o evidente sucesso do Manaira Shopping, o empresário Roberto Santiago é reconhecido atualmente como um dos empreendedores de destaque desse ramo na Paraíba. E uma das estratégias dele para manter o seu centro comercial em alta é estar sempre investindo em trazer ao local exposições e eventos que sejam do interesse da população da cidade, o que por sua vez, contribui para que a relevância do shopping permaneça intacta.

Anos atrás, em 2014, Roberto Santiago aproveitou a demanda crescente de João Pessoa para criar o seu segundo estabelecimento comercial, o Mangabeira Shopping, projetado com o intuito de encabeçar a lista dos shoppings mais modernos do país. A construção desse centro comercial foi muito importante para a aceleração da economia dessa vizinhança de João Pessoa, gerando novos empregos e atraindo mais pessoas para a região.